segunda-feira, fevereiro 24

Horas intermitentes #4

O areal está vazio.
Há, dentro e fora do corpo, um negro intenso que não se detém. Não há farol que o rasque, não há ser que o consuma. Há apenas eternidade naquele caos vivo de silêncio e solidão que és tu.

Sem comentários:

Enviar um comentário